A história da Aliança – Significado, Tipos e Curiosidades

Quando duas pessoas começam um relacionamento, então, subentende-se que logo usaram as famosas alianças de compromisso. Mas afinal de contas, o que é essa aliança? Porque a usamos? Onde ela teve sua origem? Qual o significado dela? E você tem essas e outras perguntas, então, continue acompanhando o post que fizemos, especialmente, para você!

O que é a Aliança?

De maneira simples e objetiva trata-se de um anel que simboliza a união entre duas pessoas, firmando nela um pacto de compromisso.

É através da aliança de compromisso que você mostra para a sociedade que está compromissada com outra pessoa, sendo este compromisso, noivado ou casamento. Muitos casais se orgulham em exibi-la em público, escolhendo modelos mais chamativos. Outros, preferem a discrição.

A história da Aliança

Segundo historiadores, Os Faraós do antigo Egito foram os primeiros a utilizarem o apetrecho. Naquela época, o anel significava “por toda a eternidade”.

Funcionava como uma promessa pública de que aquela pessoa seguiria e cumpriria a sua palavra, honrando seu compromisso.

Ela também era utilizada pelos gregos e pelos romanos. Entre estes, a aliança de ouro era utilizada por senadores e imperadores, além dos Sacerdotes de Júpiter, que usavam os famosos Anéis Pastorais. Para as demais pessoas, usava-se o adereço confeccionado em prata ou ferro.

Aliança com anel solitário

O sentido de casamento, acredita-se que a origem tenha nascido no costume Hindu, onde ela simbolizaria a união entre as pessoas no sentido afetivo.

O significado da aliança

Inicialmente, a aliança era tida como um verdadeiro significado de propriedade ou da compra daquela mulher, que passara a ser sua noiva.

Casamento Ísis Valverde e André Resende

A partir do século IX, a Igreja Cristã adaptou esta aliança e a aplicou como um símbolo de fidelidade e de união entre os casais. Ou seja, só a partir deste momento, oficialmente, o anel passa a ter valor sentimental e a ser tratado como símbolo de fidelidade e de união entre marido e mulher. Assim, por meio de um anel, circular, começamos a representar o ciclo de um casal que se inicia e não se finda.

Mas, antes dessa oficialização vinda do Cristianismo, os egípcios em 2.800 A.C a utilizaram como forma de compromisso romântico.

Segundo a lenda, o acessório em formato circular (ou seja, que não tem fim) foi escolhido pelos egípcios para demonstrar um amor profundo e verdadeiro, que deveria durar toda a eternidade.

Nesta época, as alianças utilizadas tinha um significado sobrenatural: acreditava-se que ao utilizar as alianças, estabeleceriam um elo entre as pessoas rumo ao amor eterno. E é dentro destes costumes que a nossa crença se perpetuou, utilizando-se da formalização pela Igreja Cristã + o mito do amor eterno entre duas pessoas.

A Aliança para o povo Grego

Na Grécia antiga, as alianças de noivado e casamento eram utilizadas como selos e símbolos de fortunas e poses. Alguns modelos, inclusive, serviam como chave para abrir cômodos ou cofres onde os bens principais do homem estavam armazenados.

No dia do casamento, cópias destas chaves eram feitas e então, entregues a noiva – daí o costume do homem em entregar um anel quando se firma um compromisso com a mulher. Ainda na época, o anel não era entregue a ela dentro da cerimônia religiosa (como acontece hoje), mas sim, quando a mulher fosse erguida em frente à casa.

Ao presenteá-la com uma cópia da chave de seus bens financeiros, o homem demonstrava sua confiança. Era um reforço de que eles estariam juntos, independentemente da situação.

Alguns modelos, pouco tempo depois, ganharam acessórios, como os diamantes. Dentro da crença grega, acreditava-se que eram lágrimas dos próprios deuses do Olimpo e por isso, valeria a pena presentear sua amada.

A Aliança para o povo Romano

Com a mesma intenção romantizada, os Romanos contribuíram para as crenças que utilizamos até os dias de hoje. Como por exemplo, o hábito de utilizar o anel no Dedo Anelar.

Acreditava-se que o quarto dedo da mão esquerda passava uma veia (Veia d’amore) que estaria ligada ao coração, diretamente. E por tal motivo, a aliança que representa a união de um casal deveria ser usada neste dedo.

A Aliança para o povo Judeu

Existe uma corrente de historiadores que acreditam que os judeus já utilizavam as alianças como forma de união matrimonial antes mesmo dos Cristão oficializarem-na como parte da cerimônia de casamento.

No começo, a aliança também acabava servindo como uma espécie de certificado de propriedade. Em outras palavras, ela assinava a compra do noivo pela noiva escolhida.

E o termo “Aliança”, Bérith em hebraico, possui o sentido de compromisso. Dentro dos costumes, o anel passa a ser usado no dedo indicador, afirmando o sentido de unir e, também, isolar.

A Aliança para os Cristãos

Como falamos acima, a partir do século IX, a igreja Cristã passou a adotar a aliança como símbolo de união e de felicidade eterna entre os casais. Dentro das lendas irlandesas, o anel funciona como uma forma de reconhecimento, de laço que não se rompe e de símbolo de força de um casal.

Na Inglaterra, alguns documentos mais antigos têm registros sobre alianças de núpcias, feitas de ferro, de cobre, de prata, de bronze, de couro e junco.

Curiosidades sobre a aliança dentro do cristianismo

  • No ano de 1217, o Bispo Salisbury Poore publicou uma lei oficial onde proibia a troca destes anéis. E argumentou: “Nenhum homem jamais deveria utilizar-se deste artifício para seduzir jovens virgens através de celebrações dissimuladas se ele não estiver, de fato, preparado para o matrimônio”. Ou seja, se o homem colocasse um anel na mão de uma moça perante testemunhas, o Estado e a Igreja tomariam o casamento como uma união real e efetiva.
  • O Papa Inocente II declarou que deveria existir um período de espera que seria observado entre o período de pedido de casamento e a oficialização da cerimônias em si- é por isso que hoje em dia, existe a aliança de noivado e, posteriormente, a aliança de casamento.
  • Depois da Guerra Civil Inglesa, os mais puritanos e radicais proibiram o uso de alianças- inclusive em casamentos. O anel era visto como uma joia e por isso, era um objeto extremamente diabólico.

Até o século XIII não existia registro de uma aliança de noivado ou de namoro (aliança de compromisso). Atualmente, a aliança tem quase o mesmo propósito que naquela época. Porém, como podemos observar, pegamos as influências de cada um dos povos antigos e transformamos-na em algo único e com um significado gigante: trazer bons sentimentos e energias para os noivos.

Casais que namoram ou estão noivos usam os anéis de prata na mão direita para mostrar para a sociedade, de forma pública, que não estão mais disponíveis para novos relacionamentos. Quando se casam, trocam o anel de mão.

Do que a aliança era feita?

Acredite se quiser: o anel já fora representado por diversos materiais, sendo utilizados desde o couro entrelaçado a simples argolas de ouro ou de ferro. Foi só na idade média que outros materiais começaram a ser utilizados.

Diretamente do século IC A.C. vem o anel mais antigo do mundo: era todo feito em couro trançado. As mulheres recebiam estes anéis quando eram pedidas em casamento.

Um dos casos mais famosos onde que se utilizou alianças aconteceu em 1477, quando o Arquiduque Maxiliano, da Áustria, presenteou sua noiva com um anel de diamante, a princesa Mary Burgundy.

Neste momento, começou-se a perpetuar na história a tradição de utilizar os Anéis de noivado e casamento, sobretudo, o famoso Anel de Brilhante. Ele passou a representar na aliança a solidez da união e a força que o casal precisa para permanecer juntos até o final.

Meghan Markle Anel Aliança
Meghan Markle também segue a tradição da realeza e usa o anel solitário com a aliança de ouro

As pedras que eram mais utilizadas naquela época eram o rubique (que simbolizava o coração vermelho), a safiraque (que representa o azul do céu e sua infinidade) e o forte e resistente diamante.

A tipologia da palavra Aliança

A palavra que conhecemos hoje, Aliança, vem do Latim, Alligare, e quer dizer “compor”, “ligar-se a”. Outro termo é o Bérith (em Hebraico) que possui o sentido de pacto ou compromisso- o anel nupcial.

Este termo também é visto através de duas outras palavras gregas: synthéke e diathéke. Nas latinas, testamentum.

Essencialmente, podemos definir que o anel utilizado como aliança serve para poder indicar um elo, um signo, um voto, onde a pessoa que o usa se une a outra e, ao mesmo tempo, se isola.

O anel, por si só, significa um pacto feito entre duas pessoas. Dentro do contexto de casamento, elas representam a fidelidade e o acordo, além do amor. Assim sendo, mesmo que simples, o objeto passa a ter um significado enorme perante aqueles que estão envolvidos emocionalmente; que compartilham alegrias e sonhos de viver uma vida feliz, leve e duradoura.

Os tipos de alianças

Muito embora não fossem tão comuns na idade média, as alianças de compromisso e noivado são comuns no nosso dia a dia. Vamos conhecer um pouco mais sobre elas?

Aliança de Compromisso

É a primeira espécie de aliança que um casal estabelece pra si. Em sua grande maioria, são feitas de prata ou de aço inox. Eles representam a fidelidade de um para com o outro e é utilizada no dedo anelar da mão direita.

Alianças de compromisso
Durante o namoro, os casais costumam usar alianças pratas

São utilizadas para demonstrar a sociedade que aquela pessoa está dentro de um relacionamento sério. Quando o relacionamento evolui para noivado, troca-se, então, a aliança.

Aliança de noivado

Muito embora seja poucos casais que fiquem noivos a ponto de usar esta aliança, os que a utilizam preferem dois modelos: o tradicional feito em ouro (dourado) ou a de prata com um diamante (que na maioria dos casos, é só a mulher que usa).

Aliança de noivado

Ela é utilizada quando o compromisso é firmado em público e quando o casal evolui no relacionamento, sendo que o próximo passo é casar. Normalmente, demora-se um ano entre o pedido oficial e o casamento (costume trazido pela Igreja Cristã).

Aliança de noivado

O anel ainda é utilizado na mão direita, substituindo o anel de compromisso que estava ali.

Aliança de casamento

A aliança de casamento é, tradicionalmente, de ouro (dourada). O noivo leva duas alianças, entrega uma para a noiva (que agora se torna sua esposa) e uma fica com ele. Ambos declaram, oficialmente, que não estão mais disponíveis para outras pessoas e firmam um pacto entre eles.

Aliança de casamento

Depois da cerimônia de casamento, a aliança é trocada de dedo, passando a ficar na mão esquerda, no dedo anelar.

Curiosidades especiais

Depois do casamento, ainda há algumas datas que fazem com que o casal troque ou reforce seus votos. São eles:

  • Bodas de prata (25 anos): Normalmente, o casal muda de aliança. Alguns adotam o modelo de prata ou ouro branco.
  • Bodas de ouro (50 anos): alguns casais reforçam os votos de casamento e usam duas alianças ao invés de uma.
  • Bodas de Diamante (75 anos): o casal coloca uma pedra de diamante para revelar a todas a solidez do amor que viveu 75 anos juntos.

Hoje em dia, as alianças são consideradas verdadeiras obras de arte, perdendo aquele modelo mais tradicional e liso. Existem designer de joias que fazem modelos personalizados de acordo com a história e vivência de cada casal.

Pode-se, ainda, gravar o nome do parceiro dentro da aliança com a data do casamento, por exemplo. Há, também, alguns aparatos que a deixam mais bonita, normalmente utilizados pelas mulheres. São anéis menores, muitas vezes, acompanhados de brilhantes: são os famosos aparadores.

Curiosidades sobre alianças

Existem algumas curiosidades bastante interessantes que envolvem esta peça. Vamos conhecer alguma delas?

Mês do namoro

Aqui no Brasil, o mês dos namorados é em junho, no dia 12, mais precisamente. Contudo, quando vamos para o cenário mundial,  mês em que mais se vende alianças e que há mais pedidos de casamento (noivado) é em dezembro.

O Círculo perfeito

Hoje em dia, os casais buscam inovar! Para se ter uma ideia, os mais radicais fazem uma tatuagem ao invés de trocar o famosos anel, por exemplo. Contudo, a tradição ainda permanece.

E, por mais moderno que seja, o formato circular ainda persiste. Sabe porquê? Porque um anel é um círculo perfeito, ou seja, aquele que não tem fim. Assim também deve ser o amor do casal que está se iniciando agora: infinito!

A escolha do diamante

Quando você pede a mão de uma mulher, você coloca uma pedra de diamante no meio do anel. Alguns dão apenas o solitário, por exemplo. O diamante quer representar essa força da união, onde nada e nem ninguém poderá destruir o casal.

Além disso, o diamante se lapida através do atrito que a pedra sofre. Quanto mais atrito, maior será a lapidação e maior será o seu valor. E assim também devemos entender num relacionamento. Haverá atritos, mas o casal sábio irá conseguir superá-los juntos, deixando o seu “diamante” cada vez mais brilhante.

Rosa, Vermelho, azul ou verde?

Por incrível que pareça, estas são as cores de anel de noivado mais utilizadas! Contudo, não adianta muito você se gabar por aí com um anel lindo se não compreender a mensagem que ele passa.

Por isso, que tal conhecer o significado das cores?

  • Branco que vem no diamante quer dizer tranquilidade e segurança,
  • O Rosa, representado pela pedra de quartzo rosa, significa claridade dentro do campo emocional do casal,
  • Azul é um cor que representa o sucesso, a sabedoria e a verdade! Significa, também, o estreitar dos laços conjugais,
  • O verde esmeralda representa a abundância e também, o equilíbrio. Acredita-se que ele também afaste maus agouros,
  • Vermelho intenso representa o amor, a confiança e a inteligência dos parceiros.

Agora que você já sabe tudo sobre o asusnto porque não dá uma olhada nas lindas alianças de namoro, compromisso, noivado e casamento que a waufen tem 🙂

Brincos de Prata 925

Os brincos são joias que evidenciam seu look e trazem vida ao visual. De maravilhosas argolinhas modernas, pequenas ou grandes, cause ainda mais impacto com brincos fascinantes.

Os sofisticados modelos tipo gota se inspiram no cotidiano de uma metropole! Brilhantes ear cuffs conferem uma ousadia moderna aos looks. Misture e combine ou use-os em pares para criar looks personalizados que conferem o toque final a qualquer composição.

Os estilos variam de delicados cravejamento à brincos de festa, fascinantes e impressionantes. A extensa coleção de brincos apresenta metais de alta qualidade, pedras zirconias e outros materiais que definem as joias da WAUFEN.

Waufen Joias em Prata 925

De belíssimas gotas a argolas modernas, pequenas ou grandes, cause ainda mais impacto com brincos fascinantes. Os Brincos de Prata 925 são joias que evidenciam seu look e trazem vida ao visual.

Seja um pequeno ponto, como uma simples pedra ou aquele mais trabalhado, essas peças são essenciais e não exigem nenhuma produção para se encaixarem no seu estilo.

Adicione beleza ao seu visual com correntes delicadas, pendentes deslumbrantes ou chokers modernas!

A rica tradição da Waufen em estilo e trabalho artesanal com prata é capturada em nossa coleção de anéis, brincos, colares, piercings, chokers e pulseiras em prata de lei!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here